Dom Tarcísio Scaramussa, SDB


Dom Tarcísio Scaramussa,SDB

Data de Nascimento: 19 de Setembro 1950
Ordenação: 11 de Dezembro 1977
Ordenação Episcopal: 19 de Abril 2008
Nasceu em: Prosperidade (Município de Cachoeiro de Itapemirim), atualmente Vargem Alta, ES
País: Brasil

Nomeado pelo Papa Francisco em 16 de julho de 2014 como bispo coadjutor da Diocese de Santos. Em 6 de maio de 2015 o Papa Francisco nomeou Dom Tarcísio Sacaramussa, SDB bispo diocesano de Santos. Dom Tarcísio é o 6º bispo diocesano da Diocese de Santos.

Dom Tarcísio Scaramussa nasceu em Prosperidade (Município de Cachoeiro de Itapemirim), atualmente Vargem Alta, ES, no dia 19 de setembro de 1950 , filho de Quirino Scaramussa e Crédia Dassié Scaramussa. Em 31 de janeiro de 1969 fez a profissão religiosa na Congregação dos Salesianos de Dom Bosco, em Joaboatão, PE, e a profissão perpétua em 24 de janeiro de 1977, em Jaciguá, ES.

CRONOLOGIA
Ensino Fundamental: 1ª. à 4ª. séries, 1957 a 1960 – em Prosperidade.
Ensino fundamental: 5ª à 8ª. séries, 1961 a 1965 – Instituto Salesiano Anchieta, Boa Esperança, ES.
Ensino Médio: 1º. ano, 1966 – Instituto Benjamim Ferreira Guimarães – Pará de Minas – MG; 2º. ano, 1967 – Ginásio Domingos Sávio – Paraguaçu, MG; 3º.ano, 1968 – Noviciado Salesiano São João Bosco – Joboatão, PE.
Ensino Superior
Filosofia: 1969-1972: Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Le-tras – São João del-Rei, MG.
Pedagogia: 1969-1972: Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras – São João Del-Rei, MG.
Teologia: 1975-1977: Instituto Central de Filosofia e Teologia (UCMG) – Belo Horizonte – MG.
Pós-Graduação lato-sensu: Especialização em Orientação Educacional: 1974-1976 – Universidade Católica de Minas Gerais (UCMG), Belo Horizonte – MG.

Atividades Eclesiais e Religiosas Exercidas
– Formador no pós- noviciado – São João Del Rei (1978-1988)
– Diretor da Comunidade Religiosa: Instituto Salesiano Anchieta, Jaciguá/ES (1985-1988) e Paróquia Cristo Luz dos Povos – Belo Horizonte MG (1989-1990).
– Pároco da Paróquia São João Batista – Jaciguá/ES (1984-1988)
– Coordenador da Equipe de Responsáveis das Comunidades Eclesiais de Base – Diocese de Cachoeiro de Itapemirim – ES (1985-1988)
– Conselho Inspetorial (1985-1991)
– Diretor do Instituto Regional de Pastoral Catequética, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – Regional Leste II (1987-1996)
– Coordenação da Equipe Nacional de Pastoral Juvenil (1990-1996)
– Vice-Provincial da Inspetoria São João Bosco e Coordenador do Desenvolvimento Educativo Pastoral Salesiano (DEPS) – Belo Horizonte – MG (1992-1996)
– Inspetor Provincial (1997-2002)
– Presidente da Conferência das Inspetorias Salesianas do Brasil – CIS-BRASIL (2000-2001).
– Membro da Diretoria da CRB Regional Leste II – Belo Horizonte – MG (2001-2002)
– Membro do Conselho Superior da UBEC – União Brasiliense de Educação e Cultura Mantenedora da Universidade Católica de Brasília.
–  Conselheiro Geral para a Comunicação Social – Congregação dos Salesianos de Dom Bosco – Roma (2002-2008).
Acadêmicas e Profissionais
Professor no Ensino Fundamental e Médio:
– 1973 – Colégio Helvécio – Ponte Nova–MG.
– 1974 –  Escolas Dom Bosco–Cachoeira do campo/MG
– 1980-1984 – Instituto Salesiano Anchieta – Jaciguá/ES
Professor no Ensino Superior:
– 1977 – Universidade Católica de Minas Gerais
– 1977 – Curso de Extensão na FAFI-BH
– 1978 e 1979 –  Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras – São João del- Rei – MG
– Orientador Educacional e Diretor de Escola:
– 1985-1988 – Instituto Salesiano Anchieta – Jaciguá – ES
PUBLICAÇÕES:
Livros:
– O sistema de Dom Bosco: um estilo de educação. São Paulo, Ed. Salesiana Dom Bosco, 1984 – 3ª.edição.
– O Sistema Preventivo de Dom Bosco: roteiros de iniciação. Belo Horizonte, CESAP, 1993.
Artigos em Revistas:
– Educação e Sacramentos. Atualização, ano VII, n. 76/77, abril/maio 1976.
Outros artigos no Boletim Salesiano do Brasil e de outros países.
Cadernos:
– Elaboração e apresentação de Trabalhos Científicos Escritos. São João Del-Rei. Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras. 1978.
– Coordenação Editorial dos Cadernos de Pastoral Juvenil – São Paulo, Editora Salesiana Dom Bosco,1990-1996.
– Coordenação dos Cadernos da Pastoral da Juventude – Belo Horizonte, CE-SAP, 1992-1994.
– Pedagogia do Amor. Belo Horizonte, CESAP, 1995.

Brasão de Armas de Dom Tarcísio Scaramussa, SDB

Brasão de Armas de Dom Tarcísio Scaramussa, SDB


Descrição heráldica do brasão

“Do azul, à trave em forma de seta em outro, carregada com uma chama em vermelho, acompanhada por uma estrela (7 pontas) à direita e por um mone à moda italiana, com três cumes que emergem de três faixas onduladas, tudo em cor prata; a cabeça do brasão é composta de duas espigas de trigo ao natural atravessadas por um livro aberto com as letras Alfa e Õmega em ouro”

O lema:
“E habitou entre nós” (Jo 1,14)
O amor de Deus que faz morada e caminha com seu povo se manifesta em Jesus, que veio habitar entre nós. Além de fazer morada em nosso meio, Ele se fez um de nós, assumindo nossa carne humana, e e assim uniu definitivamente a vida humana à vida divina. Os símbolos falam desta presença e evocam a oração de Jesus na Última Ceia: Ele está despedindo de seus discípulos, e garante-lhes que continuará com eles para sempre (Jo 14)

Interpretação do brasão
O azul simboliza a realidade humana assumida e divinizada pela encarnação de Jesus, e que se projeta na esperança na direção do Reino definitivo.

A trave em forma de seta lembra uma tenda, par exprimir que estamos na casa de Deus; de fato, em latem “tabernaculum” significa justamente tenda. Além disso, no Antigo Testamente, o primeiro Templo dos Hebreus foi a tenda (shekinah) do encontro (Ex 40,2), dentro da qual se encontrava o “Sancta Sanctorum” que conservava a Arca da Aliança. Na heráldica, o “ângulo que forma uma seta” simboliza também a arquitrave ou viga mestra que segura o teto da igreja; aqui está em ouro, metal mais nobre, símbolo portanto da primeira virtude , a fé. de fato, é graças à fé que podemos compreender a presença de Deus na Igreja, a sua casa, na qual percebemos de modo particular a sua proteção e onde se explica o magistério do bispo sob seu mandato.

A chama simboliza o Espírito Santo, penhor da presença constante e atual de Deus: “Eu pedirei ao Pai, e Ele dará a vocês outro Consolador para que permaneça com vocês para sempre” (Jo 14,16). “O Consolador, o Espírito Santo que o Pai vai enviar em meu nome, Ele ensinará a vocês todas as coisas, e fará vocês lembrarem tudo o que eu lhe disse” (Jo 14,26). A chama representa também o ardor pastoral que brota da Eucaristia e nos impulsiona a fazer-nos Eucaristia, para que todos possa sentir a presença e o amor de Deus.
A estrela, símbolo clássico da iconografia mariana, identifica a luz de maria, nossa Mão Celeste, a “Estrela da Manhã” que ilumina os dias da nossa vida de cristãos.

As ondas e os montes (aqui representados em forma heráldica) lembram os lugares da vida de Dom Tarcísio Scaramussa, entre o mar e as montanhas dos Estados do Espírito Santo e Minas Gerais, onde ele passou boa parte de sua missão presbiteral. O mar representa também a vocação como um chamado do Senhor para evangelizar, “Fazer-se ao barco” (Duc in altum – Lc 5, 4) – e lançar as redes agora particularmente na Diocese de Santos, nas cidades de Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos e São Vicente.

A “cabeça”, a parte mais importante do brasão, está em prata “esmalte”, símbolo da transparência, portanto, da verdade; a verdade da Palavra do Senhor, “Se alguém me ama, guarda a minha palavra, e meu Pai o amará; Eu e meu Pai viremos e faremos nele a nossa morada “ ( Jo 14,23) simbolizada pelo livro da Sagrada Escritura com as letas alfa e ômega para significar que o Senhor é princípio e fim de tudo (Ap 1,8). O livro está em vermelho, cor do amor do pai que chega até nós por meio da Palavra e das espigas, símbolo clássico do Pão Eucarístico, e que identificam a presença amorosa e constate de Deus que se faz próximo de nós e vem habitar em nós pela Eucaristia.