Padre Francisco José Greco


Padre Francisco José Greco

Data de Nascimento: 19 de 09 1961
Ordenação: 16 de 11 1996
Nasceu em: Santos SP
País: Brasil
Paróquias(s): São Benedito

A sua família morou por muitos anos no centro de Santos, onde seu pai exercia a atividade profissional de alfaiate e sua mãe cuidava da casa. Por muitos anos atuaram vivamente na Igreja do Santuário do Sagrado Coração de Jesus, na Rua da Constituição, onde exerciam diversas atividades. Uma das mais lembradas pelos antigos alunos do Colégio Santista e frequentadores da Igreja era o “cineminha”. Com a demolição da antiga igreja do Coração de Jesus, passaram a atuar na igreja Catedral, onde continuaram suas atividades
Sua família sempre foi ligada ao trabalho na Igreja, por isso, o itinerário vocacional de Pe. Francisco encontra o seu fundamento na sólida estrutura familiar que possui. O encorajamento para viver sua fé é respaldado, não só pela formação que recebeu na família, mas também dos padres Jesuítas que aqui estiveram, bem como dos Irmãos Maristas no colégio onde viveu a maior parte de sua infância e adolescência.
A morte do pai no ano de 1972, aos 52 anos de idade, e as dificuldades econômicas familiares, levaram-no a trabalhar em empresas retro-portuárias. Neste tempo continua a sua militância na Igreja, agora participando dos Grupos de Jovens e da Pastoral da Juventude. Foi no final de 1987 que inicia propriamente a caminhada vocacional para o Sacerdócio.
Neste ano de 1987 encontra-se com o responsável pelo Seminário Diocesano de Santos, que trabalhava em Santos, na paróquia de Nª Srª Aparecida, o Pe. Antonio Paulo Ferreira de Castilho, e é por ele orientado a esperar o ano seguinte (1988), pois era quando chegariam à Diocese os novos padres que seriam os responsáveis pelo Seminário Diocesano e a Pastoral Vocacional.
Em 1988, com outros oito jovens, inicia o trabalho de discernimento vocacional, sob a orientação do Pe. José Manuel Murga Arnaiz, OD, ao mesmo tempo em que continua a trabalhar em empresas de retro-porto e cursa o 1º Ano de Filosofia, na Faculdade de Filosofia Ciência e Letras da UNISANTOS. Já em 1989 entra para o Seminário São José com um grupo de seis rapazes que iriam começar a etapa formativa.
Durante o período de estudo no Seminário Diocesano São José, nos finais de semana, realizou seu trabalho pastoral nas paróquias: Sagrada Família, de 1989 a 1990, junto com o Pe. Antonio Paulo Ferreira de Castilho, atuando principalmente com o Grupo de Jovens da paróquia; de 1991 a 1992 é designado para a pastoral na paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Itanhaém, junto com o Pe. Antonio Alberto Finotti, onde trabalha com os adolescentes e crismandos e ajuda nas Celebrações da Palavra nas diversas comunidades da paróquia, tais como: Nossa Sra. de Fátima (Sabaúna); Nossa Sra. Aparecida (Bairro Yeda); São Bento (Jd. Gaivota) e Nossa Sra. da Glória (Verde Mar).
No ano de 1993 é designado para trabalhar junto com a Irmã Maria Dolores Junquera, na capela de Santa Terezinha no bairro de Samaritá, Nossa Sra. do Perpétuo Socorro, no bairro Jardim Rio Branco e Nossa Sra. da Esperança, no Quarentenário (área de ocupação) todas pertencentes à paróquia de Nossa Sra. Auxiliadora, cujo pároco era o Pe. Valdeci João dos Santos. No ano de 1994 o Sr. Bispo Diocesano, D. David Picão, desmembra a paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora, criando a Reitoria e depois paróquia do Beato José de Anchieta sob os cuidados do Pe. Luiz Carlos dos Passos. Nesta fica também trabalhando Irmã Dolores e o então seminarista Francisco.
Dos seis seminaristas que entraram em 1989, três saíram e, ao final do 4º. Ano de Teologia, que foi feito no Instituto Teológico São Paulo – ITESP, ordenaram-se diáconos pela imposição das mãos de D. David os seminaristas Francisco Greco, Elmiran Ferreira e Carlos Alves de Miranda, no dia 26 de novembro de 1995.
Para exercer o seu ministério o Diác. Francisco foi provisionado para a paróquia de Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, em Santos, para auxiliar o pároco Monsenhor João Joaquim Vicente Leite e o Pároco Emérito Monsenhor Benedito Vicente dos Santos Júnior. Dentre os diversos trabalhos, orienta a Liturgia e o Grupo de Jovens.
Após o tempo exigido pelo Direito, com seu dois companheiros de diaconia Elmiran Ferreira Santos e Carlos de Miranda Alves, são ordenados presbíteros pela imposição das mãos de D. David Picão em 16 de novembro de 1996, em Santos.
Seu primeiro trabalho como sacerdote foi na paróquia Sagrada Família, em Santos, em substituição ao Pe. Jacob Putenkhandan que, de férias, foi visitar sua família na Índia e lá ficou os meses de dezembro e janeiro. Em seguida, já no ano de 1997, assume a função para qual foi provisionado de Vigário Paroquial na Paróquia Divino Espírito Santo, em Caraguatatuba, para auxiliar o Vigário-Episcopal da Região Episcopal Litoral Norte, Pe. Pietro Saturnino Carta (Pe. Nino).
Na paróquia desenvolve seu trabalho de maneira especial nas capelas de Nossa Sra. da Glória (Bairro do Travessão); Nossa Sra. Aparecida (Porto Novo); Nossa Sra. do Desterro (Barranco Alto); Nossa Sra. de Fátima (Perequê-Mirim); São Pedro (Pegorelli), Sagrada Família (Jd. das Palmeiras); N. Sra. Rosa Mística (Poço das Antas); Santa Rita de Cássia (Fazenda Serramar) e na Comunidade São Judas Tadeu, no Bairro Jardim Jaqueira.
Em 1998 foi designado Vigário Paroquial para a Paróquia da Catedral em Santos, dividindo os trabalhos com o pároco Pe. Antonio Baldan Casal, revezando-se nas celebrações na Catedral, Cemitério do Paquetá e no Santuário de Nossa Senhora do Monte Serrat. Por um pequeno período ambos assumiram as missas das 12h, de segunda a sábado, na Igreja Nossa Senhora do Rosário, da praça Rui Barbosa.
No ano seguinte, em 1999, foi designado Pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Assunção, no Morro de São Bento, também em Santos. Em outubro deste mesmo ano vem uma nova nomeação e é designado, para janeiro de 2000, assumir como  Vigário Paroquial para trabalhar na Paróquia de Nossa Senhora do Rosário de Pompéia e Capela Bom Pastor juntamente com o Pe. Antonio Baldan Casal, revezando-se nos trabalhos de atendimento e de pastoral. Finalmente, em janeiro de 2003, é nomeado Pároco da Paróquia de São Jorge Mártir em Santos.
Neste tempo de atividade sacerdotal, Pe. Francisco, em 1996 iniciou como professor, o Instituto Beato José de Anchieta (Escola Diocesana de Ministérios) dando aulas de Liturgia, História de Israel, Evangelho de São João, Apocalipse, Sacramentos, Literatura Sinótica e Patrística até 2009, quando assume como Diretor de Estudo até o final do mesmo ano.
Participou da Comissão Central do Primeiro Sínodo Diocesano, no ano de 1999, e elaborou o questionário-relatório da Dimensão Ecumênica e Diálogo Inter-Religioso. Foi nomeado por D. David Picão Assistente Eclesiástico da Comissão Diocesana de Pastoral Litúrgica e implementou uma nova Semana de Liturgia com oficinas nos diversos serviços voltados para o culto dos Sacramentos, especialmente o da Eucaristia, conforme orientação do Documento Sinodal.
No ano de 2001 a 2002 foi escolhido para ser o Coordenador da Região Pastoral Orla e passou a integrar o Conselho Presbiteral da Diocese, onde exerceu o cargo de secretário do Conselho. Retorna a função de Coordenador da Região Pastoral Centro 2 em 2004 a 2005, retornando ao Conselho Presbiteral e assume novamente o cargo de Secretário do Conselho.
Após novas eleições, em 2005, na Região Pastoral Centro 2 e nas nova Regiões Pastorais Litoral Centro e Litoral Sul, para que o Conselho Presbiteral voltasse ao ordenamento pare a passo com todas as demais Regiões, Pe. Francisco continua na função até o final de 2006. Na nova eleição é reconduzido ao cargo por mais dois anos de 2007 a 2008. No final do ano, Pe. Francisco novamente é reconduzido ao cargo de 2009 a 2010 no qual é novamente re-eleito para o período de 2011 e 2012.
Neste ínterim, já está trabalhando como Sacerdote Conselheiro Espiritual da Equipe Nossa Senhora de Fátima, do Movimento das Equipes de Nossa Senhora. É chamado pelo Sr. Bispo para redigir juntamente com o Sr. Bispo Emérito, D. David Picão, o Documento Conclusivo do Primeiro Sínodo Diocesano promulgado pelo Sr. Bispo D. Jacyr Francisco Braido,CS, no ano de 2000. Também redigiu com D. David o Relatório Quinquenal 1995 a 1999, a ser enviado a Roma, por ocasião da visita Ad Limina Apostolorum e, mais tarde, redigiu com o Sr. Bispo D. David o Estatuto do Conselho Diocesano de Pastoral.
Assume o Ceris Diocesano e reformula a maneira de coleta de dados e prepara um trabalho de pesquisa e gráfico dos Sacramentos dos anos de 2005 a 2007, entregue ao Sr. Bispo e a todos os Párocos. Torna-se membro do Conselho Editorial do Jornal ”Presença Diocesana” e é nomeado em 2006 pelo Sr. Bispo D. Jacyr como assistente Eclesiástico da Pastoral dos Surdos, cargo que ficou até o final de 2009.
No ano de 2003 prepara o Guia Geral da Diocese e no ano de 2009 redigiu para o Sr. Bispo D. Jacyr o Relatório Quinquenal 2000 a 2004, para ser apresentado na visita “Ad Limina Apostolorum”. Também é convidado pelo Sr, Bispo para compor o Conselho Fiscal do Museu de Arte Sacra e Santo em março de 2007.
No ano de 2006 é escolhido pelo Sr. Bispo Diocesano para compor a equipe de Coordenação Diocesana de Pastoral, no cargo de Secretário Geral, e que teve como principal tarefa terminar as Diretrizes da Ação Pastoral e Evangelizadora na Diocese de Santos, projeto que já vinha sendo elaborado desde o ano de 2001, sendo finalizado no início de 2009 e promulgado neste mesmo ano no mês de abril.  Exerce o cargo até o final deste mesmo ano.
Atualmente, além da função de pároco da Paróquia de São Jorge Mártir, é ainda o Coordenador Regional Centro 2 de Pastoral, membro do Conselho Presbiteral, do Conselho Editorial do Jornal “Presença Diocesana”; do Conselho Fiscal do Museu de Arte Sacra de Santos; Sacerdote Conselheiro Espiritual da equipe Nossa Senhora de Fátima e Presbítero designado para acompanhar os militares do 2º. Batalhão de Infantaria Leve – BIL, em São Vicente.

CRONOLOGIA

1989 – Ingressa no Seminário Diocesano São José/Santos;
16/nov/96 – Foi ordenado sacerdote por Dom David Picão;
17/nov/96 a 1997 – Tornou-se vigário paroquial da Paróquia Sagrada Família/Santos;
1997 a 1998 – Tornou-se vigário paroquial da Paróquia Divino Espírito Santo/Caraguatatuba;
1998 a 1999 – Tornou-se vigário paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Rosário/Santos;
1999 a 2000 – Tornou-se pároco da Paróquia Nossa Senhora da Assunção/Santos;
2000 a 2003 – Tornou-se vigário paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Pompéia/Santos;
2003 – Tornou-se pároco da Paróquia de São Jorge Mártir/Santos;
2006 a 2009 – Tornou-se assessor eclesiástico diocesano da Pastoral dos Surdos;
2007 a 2009 – Tornou-se secretário geral da Coordenação Diocesana de Pastoral;
set/2011 – Tornou-se coordenador da Coordenação Diocesana de Pastoral.
15/jan/2013 – Administrador Paroquial da Paróquia de São Jorge Mártir / Santos e Paróco na Paróquia de São Benedito – Santos.

 1/6/2017 – Nomeado – Assistente Eclesiástico (Conselheiro Espiritual) para a Irmandade de São Benedito da Diocese de Santos (Prot. N°: 103; Livro: “S”; Fls.: 035)
07/11/2017 – Nomeado – Assessor Diocesano para o Ecumenismo e Diálogo Inter-Religioso da Diocese de Santos (Prot. N°: 157; Livro: “S”; Fls.: 045)