Edvaldo Gomes (Sacerdote)


Padre Edvaldo Gomes

Data de Nascimento: 17 de 05 1973
Ordenação: 02 de 08 2008
Data de Falecimento: 16 de 01 2011
Nasceu em: Santos SP
País: Brasil

Edvaldo Gomes nasceu em 17 de maio de 1973. Filho de Antonio dos Santos Gomes e de Maria Edinalva Gomes, tem mais sete irmãos. Sua paróquia de origem é a Sagrada Família, em Santos. Entrou para o Seminário São José em 1999 e começou seu estágio pastoral na paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Santos, onde permaneceu até o ano de 2000. Em seguida, trabalhou nas seguintes paróquias: Beato José de Anchieta (2001/2002), São João Batista e capela Bom Jesus, em Santos (2003/2004), Nossa Senhora das Graças, Praia Grande (2005). Concluídos os estudos teológicos, foi designado para fazer um período de estágio pastoral, retornando à paróquia N.S. Aparecida, em Santos, sendo acompanhado pelo Padre Carlos de Miranda Alves.
Foi ordenado em 2 de agosto de 2008 e enviado como vigário paroquial para a Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Praia Grande. No segundo semestre de 2008 a 2010 trabalhou como assessor diocesano do Setor Juventude. Em 5 de maio de 2009 foi nomeado vigário paroquial na Matriz de N. Sra. da Conceição, atuando na Igreja de Nossa Senhora de Sion, em Itanhaém. Em meados de 2010, por causa de problemas relacionados a sua saúde, veio para Santos, onde ficou morando com Padre Valfran dos Santos, na paróquia São João Batista, no Morro da Nova Cintra.

No dia 6 de janeiro de 2011, deu entrada no Hospital São Lucas, por problemas relacionados a diabetes e insuficiência renal, vindo a falecer no dia 15 de janeiro, em decorrência de parada cardíaca e falência múltipla dos órgãos.

 

Testemunho pessoal de Padre Edvaldo
(Texto publicado no Jornal Presença Diocesana, em setembro de 2003, na página do Seminário Diocesano, quando o então seminarista Edvaldo Gomes, cursava o 2º Ano de Teologia).
“A descoberta vocacional no meio da comunidade”
Queridos(as) leitores(as) e colaboradores(as) do Jornal Presença Diocesana, é com muita alegria que venho partilhar um pouco da minha vida com vocês, tendo presente o tema da minha vocação. Meu nome é Edvaldo Gomes nascido em Santos no dia 17 de maio de 1973. Venho de uma família de oito irmãos, sendo 5 irmãs e 2 irmãos. Morei até os três anos no Morro São Bento, e depois mudei para a Zona Noroeste, onde estudei. Dei os primeiros passos para o trabalho no CAMPS (Círculo de Amigos do Menor Patrulheiro de Santos), aos 13 anos e, claro, não poderia deixar de dizer que foi lá também onde me senti convidado a participar da mesa da comunhão na Paróquia Sagrada Família, onde tenho muitos amigos.
E como foi o meu chamado vocacional? Foi verdadeiramente muito forte para mim, até mesmo porque não esperava me envolver tanto com a Igreja como me envolvi, mas os desígnios de Deus são um mistério, assim também como o ser humano. Estava em uma missa em que era comemorando o Dia Mundial de Oração pelas Vocações (é claro que já existia um envolvimento tão forte com a paróquia que já não dava para olhar para trás), e aconteceu que o então pároco, Pe. Valdeci João dos Santos, fez a conscientização das dificuldades da Diocese de Santos em relação às vocações sacerdotais. Aí começou um processo muito legal, onde tive que deixar meu emprego que já tinha há 11 anos e fazer o acompanhamento com o Pe. Eusébio Pascual, então reitor do Seminário Diocesano, hoje trabalhando na Argentina.
Feito o encaminhamento, ingressei no Seminário em fevereiro de 1999. Hoje, posso afirmar que as comunidades pelas quais passei desempenhando meu trabalho pastoral me ensinam muito. Foram as seguintes paróquias: Aparecida-Santos, Beato José de Anchieta-Humaitá e, atualmente, São João Batista-Santos, mais especificamente na Igreja Senhor Bom Jesus – Vila Progresso, onde aprendo muito com muitas realidades sofridas, tentando sempre estar presente nos momentos de alegrias e de tristezas, tendo a consciência de que não basta dar um bom conselho se o próprio testemunho não anda de acordo com tal conselho.
Mas testemunhar com a vida o projeto de salvação, mostrando que a entrega da vida para Jesus “Vale a Pena”, como diz sempre Pe. Elmiran.
E com isso termino agradecendo a oportunidade, pedindo sempre a Deus bons vocacionados para a nossa Diocese de Santos. Não esquecendo da nossa Mãe do Céu, Nossa Senhora do Monte Serrat, que Rogue a Deus por todos nós, especialmente pelas vocações. Um Abraço Fraternal.