MÊS MISSIONÁRIO EXTROARDINÁRIO


A Diocese de Santos deu início ao Mês Missionário Extraordinário com a celebração de envio da Cruz Missionária durante a missa presidida por Dom Tarcísio Scaramussa,SDB, Bispo Diocesano de Santos, na Capela Santa Teresinha, no Morro com o mesmo nome, em Santos. A Cruz Missionária foi entregue a Pe. Ednei Valentim,CMPS, pároco da Paróquia São José Operário, de Peruíbe. A Capela faz parte da Paróquia São Paulo Apóstolo, cujo pároco é Pe. Ricardo de Barros Marques.
Em setembro, o coordenador eclesial de cada Região Pastoral (8) recebeu uma réplica da Cruz Missionária para ser usada nas celebrações relativas ao Mês Missionário Extraordinário. Pe. Elmiran Ferreira, assessor eclesiástico da Comissão Missionária Diocesana, lembra que o sentido da Cruz Missionária é “colocar o cristão em profunda sintonia com a importância de sua identidade missionária: somos cristãos porque somos batizados e recebemos de Cristo a missão de levar a boa nova para todos os cantos. E para que isso aconteça, Jesus mesmo ensinou o melhor jeito quando diz aos discípulos “vinde e vede”. Só saindo de nós mesmos é que poderemos conhecer por dentro a realidade do outro e mostrar a ele a novidade do amor de Deus através do Evangelho”.
No final de setembro, o Comidi promoveu um dia de formação em preparação ao Mês Missionário Extraordinário, com a assessoria de Pe. Andrea Vascon, da Diocese de Campo Limpo, e que coincide com a realização do Sínodo Especial para a Amazônia, a ser realizado de 6 a 27, em Roma.