Pe. Ricardo Marques recebe título de Doutor em Direito Canônico

05_doutorado-ricardo
Pe. Patrick Valdrini, Pe. Ricardo, Pe. Mateo Nacci e Pe. Natale Loda

“Sínodo Diocesano de Santos: um instrumento jurídico de comunhão da Igreja Particular e de colaboração com o governo do Bispo Diocesano” foi o tema da tese que concedeu ao Padre Ricardo de Barros Marques (vigário paroquial da Par. N. Sra. do Rosário de Pompéia/Santos) o título de Doutor em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade Lateranense de Roma.
A defesa oral da tese aconteceu no dia 21 de outubro, em Roma, diante da banca formada pelo professor-orientador Patrick Valdrini (Diretor da Tese); Mateo Nacci (Presidente da banca e substituto da professora Claudia Izzi); e Natale Loda (1º correlator da tese). A defesa teve 20 minutos de duração e Pe. Ricardo afirma que “foi bastante tranquilo, porque os professores da banca, que já haviam lido a parte escrita anteriormente, garantiram que o trabalho estava muito bom”, conta. O trabalho foi avaliado com a nota 90/90 com classificação Summa cum Laude, o que significa a nota máxima e “com o máximo louvor”. O trabalho também será publicado integralmente pela Universidade Lateranense.
Padre Ricardo descreve o sentimento de receber o título de Doutor: “A sensação é de uma conquista, resultado de esforço e renúncias. Também me sinto agradecido, em primeiro lugar a Deus, e àqueles que me apoiaram, meus pais, amigos e um agradecimento à Diocese de Santos que me enviou a Roma”.
O desenvolvimento do trabalho de Doutorado demorou três anos. Dois deles foram feitos em Roma, onde Pe. Ricardo assistiu as aulas de quatro disciplinas obrigatórias. Depois, o trabalho foi concluído em Santos: “Foi um árduo trabalho de pesquisa, de leitura em italiano, francês, espanhol, latim e português”, conta o sacerdote.
Sínodo Diocesano
A pesquisa consistiu em uma análise jurídica do Sínodo Diocesano de Santos que aconteceu entre os anos de 1996 a 2000, convocado por Dom David Picão, Bispo da Diocese na época. Na análise feita com embasamento teológico e histórico, Pe. Ricardo descreve o Sínodo como um instrumento jurídico que ajuda o Bispo a elaborar diretrizes e normas para a Diocese: “Foi um estudo histórico do Sínodo, das normativas sinodais, o embasamento teológico sobre a sinodalidade e comunhão e, por fim, pude mostrar como a comunhão existente no Sínodo ajudou o Bispo Diocesano e favoreceu a participação dos leigos e sacerdotes no poder legislativo do Bispo, que é o único legislador do Sínodo. Um dos principais frutos do Sínodo foi a experiência de comunhão que ele permitiu”.
Padre Ricardo sugere que o Sínodo Diocesano é um instrumento para acolher e colocar em prática o Espírito da Conferência Episcopal de Aparecida, realizada no ano de 2007 na cidade de Aparecida/SP, e, por isso, as Dioceses deveriam promover o Sínodo Diocesano, mesmo ele não sendo obrigatório.
Entre todos os temas do Direito Canônico que poderiam ser abordados, Pe. Ricardo explica por que escolheu o Sínodo Diocesano, tomando como exemplo o Sínodo da Diocese de Santos: “Em primeiro lugar, queria buscar um tema da Igreja no Brasil para dar um caráter original ao objeto da tese e, em segundo lugar, queria algo que ajudasse as Igrejas particulares”.
Padre Ricardo afirma que, apesar de ter concluído o Doutorado, ele continuará aprofundando os estudos em Direito Canônico e que está a serviço da Diocese de Santos para trabalhar no que for necessário. “Esse tempo de estudo em Roma significou para mim amadurecimento na Fé, amadurecimento cultural e um entendimento do sentido de Igreja Universal, além da oportunidade de ter uma proximidade com o Papa. Percebi também como a Igreja leva a sério os estudos e como promove a pesquisa e a cultura”.