10ª – AVALIAÇÃO

10ª SESSÃO SINODAL

AVALIAÇÃO

1.- Introdução

Ao final desta primeira parte do Sínodo Diocesano, a Comissão Sinodal julgou por bem realizar uma avaliação de toda a caminhada feita até então pelo Sínodo Diocesano.
Em um primeiro momento, foram consultados o Clero, Religiosos(as) e Leigos(as), que avaliaram a caminhada durante a Jornada de Estudo Pastorais – JEP de novembro de 1999.
As comunidades paroquiais fizeram a segunda etapa da avaliação através de uma nova pesquisa que visava recolher os avanços e os frutos, as dificuldades e os fracassos encontrados durante a caminhada Sinodal para colocar em execução o que fora decidido nas Sessões Sinodais.

2.- Quadro Sinóptico

De posse de todas as avaliações a Comissão Central Sinodal analisou todos os questionários, buscando uma conclusão final, como segue abaixo:

Dimensão Comunitária Participativa

Vocações e Ministérios
Frutos = Criação da P.V., Eventos Vocacionais: encontros, horas santas, terços, feiras…, aumento de jovens na comunidade.
Dificuldades = Falta de recursos humanos, acúmulo de funções nas mesmas pessoas, falta de formação dos agentes.
Sugestões = Capacitar agentes: conhecimentos, abertura e acolhimento, aprofundar o tema junto à comunidade, acompanhamento dos jovens e fortalecimento da PV, grupos de perseverança – divulgação dos grupos vocacionais existentes.

Leigos
Frutos = Conscientização sobre a missão do leigo, tríduo de preparação ao dia do leigo, cursos e encontros de formação.
Dificuldades = falta de disponibilidade para os trabalhos, falta de formação dos leigos.
Sugestões = Escola da Fé, encontros de formação, maior valorização do CODILEI, investimentos na formação de lideranças, envolver mais o CODILEI com as paróquias.

Estrutura da Igreja
Frutos = Estudo do tema
Dificuldades = Falta de conhecimento e interesse pelo tema.
Sugestões = Dar mais espaço aos leigos, tarde de estudo dos documentos da Igreja, divulgação dos documentos da Igreja.

Dimensão Missionária
Frutos = Criação do Comipa, criação de equipe de visitadores, catequese com ênfase na missionariedade, infância missionária, aprimoramento da acolhida.
Dificuldades = Falta de perseverança dos agentes, falta de recursos humanos, acúmulo de funções nas mesmas pessoas, falta de formação dos agentes.
Sugestões = Instituir a infância missionária onde não há, criar setores paroquiais para facilitar o trabalho do pároco, intensificar a criação dos COMIPAS, formação contínua para os missionários.

Dimensão Bíblico-Catequética
Frutos = Fortalecimento da catequese com envolvimento dos pais, cursos de formação para as catequistas, semana catequética regional, entrosamentos com a COFIEF, entrosamento da catequese com outras pastorais.
Dificuldades = Falta de catequistas, falta de formação das catequistas, falta de espaço físico, falta de recursos econômicos, falta de envolvimento dos pais.
Sugestões = Intensificar o trabalho com as famílias, criação da escola catequética, maior apoio dos párocos às catequistas., catequese permanente para adultos.

Dimensão Litúrgica
Frutos = Formação de Equipes de Liturgia e de Celebração, ampliação e revitalização das equipes já existentes, formação de equipes de acolhida, esmero na preparação das celebrações e festas litúrgicas.
Dificuldades = Falta de disponibilidade das pessoas para o trabalho, falta de formação e envolvimento das pessoas.
Sugestões = formação de equipes de liturgia paroquiais e regionais onde não houver, formação de maior número de Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão, liturgias menos dramatizadas e com maior conteúdo evangélico.

Dimensão Ecumênica e Diálogo Inter-Religioso
Frutos = Reuniões de estudo sobre ecumenismo, Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos.
Dificuldades = Desconhecimento do assunto, insegurança dos agentes.
Sugestões = Aprofundar o estudo do tema, instituir a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos em nível paroquial, maior entrosamento com as outras religiões.

Dimensão Sócio-Transformadora
Frutos = atuação junto a famílias carentes, Criação da CODISP.
Dificuldades = Faltam recursos humanos e financeiros, aversão generalizada por assuntos de ordem política, falta de apoio da Diocese.
Sugestões = Maior apoio diocesano para a pastoral sócio-política, realização de casamentos comunitários, concentrar atenção nos dependentes químicos: álcool e droga, maior formação política, conscientização dos leigos de sua missão na sociedade/mundo, desenvolver a área cultural nas paróquias – levar cultura ao povo.

Dimensão Sócio-Transformadora
Comunicação
Frutos = criação dos jornais: diocesano e paroquial, maior comunicação entre as diversas pastorais.
Dificuldades = falta de comunicação entre as diversas pastorais e de entrosamento com a CODICOM.
Sugestões = Desenvolver a Pastoral da Comunicação nas paróquias, criar Jornais nas Paróquias.

Em síntese geral do quadro podemos elencar três dificuldades que estão presentes em todos os quadros conforme segue abaixo:
a.) Falta de recursos humanos (acúmulo de funções nas mesmas pessoas);
b.) Falta de recursos econômicos;
c.) Falta de formação de agentes.

3.- Orientações Sinodais

Observando os dados coincidentes, esta Comissão propôs para a JEP de 17 de maio de 2000 a apresentação de pistas concretas de solução, partindo das causas mais prováveis que originaram tais situações. Através dos trabalhos em grupo, resume-se o que segue:
1.- Causa geradora da falta de recursos humanos, provocando acúmulo de funções nas mesmas pessoas;
Existência nas comunidades de grupos fechados que agem como “donos” da situação.
Pistas de solução:
Promover a renovação e o rodízio dos agentes de pastoral;

2.- Causa geradora da falta de recursos econômicos
Existem recursos; falta prioriza-los.
Pistas de solução:
Realizar um planejamento econômico-financeiro que atenda às necessidades das Paróquias e da Diocese como um todo através do Conselho Diocesano de Assuntos Econômicos.

3.- Causa geradora da falta de formação de agentes
Falta de investimento e incentivo na formação do leigo, nas respectivas comunidades paroquiais.
Pistas de solução:
Investimento na formação de agentes, dentro de um planejamento anual.

Diante desses resultados obtidos, sugere-se o estudo e a elaboração de um plano anual para a formação dos referidos agentes e das verbas necessárias para isso.
Acrescentamos que, o Plano Pastoral da Diocese pode ser de grande valia para algumas das mudanças, mormente se for redigido com amplo diálogo com as lideranças comunitárias.