Circular – Ano Nacional Mariano – 10/10/2016

ANO NACIONAL MARIANO
Circular

Santos, 10 de outubro de 2016

“Deus ofereceu ao Brasil a sua própria Mãe” (Papa Francisco)

Aos sacerdotes, diáconos, agentes de pastoral e demais fieis da Diocese de Santos

Queridos irmãos e irmãs.

Nossa Diocese, colocada sob a proteção de Nossa Senhora do Rosário, acolhe com alegria a proposta do Ano Nacional Mariano, proclamado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil — CNBB. Em comemoração aos 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, o Ano Nacional Mariano tem início em 12 de outubro de 2016 e se concluirá no dia 11 de outubro de 2017.
A mensagem de proclamação do Ano Mariano recorda que ele “vai, certamente, fazer crescer ainda mais o fervor desta devoção e da alegria em fazer tudo o que Ele disser” (cf. Jo 2,5). Será, portanto, um ano de aprofundamento da espiritualidade Mariana, que inclui crescer na fé e na vivência do Evangelho. Deverá ser um tempo de aprendizagem, como sugere o Papa Francisco: “Na imagem de Nossa Senhora Aparecida “há algo de perene para se aprender”.
Deveremos aprofundar a Mariologia, na esteira do Concílio Vaticano II: “O Sacrossanto Sínodo, ao expor a doutrina sobre a Igreja, na qual o divino Redentor opera a salvação, quer esclarecer com empenho tanto a missão da Bem-aventurada Virgem no mistério do Verbo Encarnado e do Corpo Místico, como os deveres dos homens remidos para com a Mãe de Deus, mãe de Cristo e mãe dos homens, mormente dos féis” (LG, 54).
Devemos incrementar, portanto, o culto mariano, na liturgia e nas várias práticas de devoção, e aprofundar a vivência da espiritualidade mariana, através do estudo e da imitação de Maria no caminho do discipulado de Cristo. A Lumen Gentium pede aos teólogos e pregadores que estudem e expliquem “como convém as funções e os privilégios da Santíssima Virgem, os quais dizem todos respeito a Cristo, origem de toda a verdade, santidade e piedade… E os fiéis lembrem-se de que a verdadeira devoção não consiste numa emoção estéril e passageira, mas nasce da fé, que nos faz reconhecer a grandeza da Mãe de Deus e nos incita a amar filialmente a nossa mãe e a imitar as suas virtudes” (LG 67).
A dimensão missionária da evangelização deve ser o foco de atenção em inúmeras iniciativas que podem ser criadas e incentivadas, como o Projeto “Missionários do Povo: Piedade Popular” (cf. Plano de Evangelização, Programa 1 , projeto 8).
O Ano Mariano deverá confirmar-nos como discípulos missionários, assim como o foram os pescadores que encontraram a imagem, como ressalta a mensagem de proclamação do Ano Mariano: “Como no episódio da pesca milagrosa narrada pelos Evangelhos, também os nossos pescadores passaram pela experiência do insucesso. Mas, também eles, perseverando em seu trabalho, receberam um dom muito maior do que poderiam esperar: ‘Deus ofereceu ao Brasil a sua própria Mãe’. Tendo acolhido o sinal que Deus lhes tinha dado, os pescadores tornam-se missionários, partilhando com os vizinhos a graça recebida. Trata-se de uma lição sobre a missão da Igreja no mundo: ‘O resultado do trabalho pastoral não se assenta na riqueza dos recursos, mas na criatividade do amor’ (Papa Francisco)”.
Maria é ainda hoje a “grande missionária, continuadora da missão de seu Filho e formadora de missionários”. Nela se deu a “máxima realização da existência cristã como um viver trinitário de ‘filhos no Filho”. Por isso, os bispos em Aparecida reafirmaram que a vida de Maria é um testemunho vivo do discípulo que vive em comunhão com Cristo, reconhecendo-o na vida da comunidade. “Como na família humana, a Igreja-família é gerada ao redor de uma mãe, que confere “alma” e ternura à convivência familiar. Maria, Mãe da Igreja, além de modelo e paradigma da humanidade, é artífice de comunhão” (cf. DAp 266-267).
A proteção maternal de Maria nos ajude a progredir como discípulos missionários de Cristo! Ela nos acompanhará no caminho traçado no Plano de Evangelização da Diocese, que pede conversão pastoral para sermos uma Igreja acolhedora, missionária e misericordiosa.
Cada Paróquia solenize a abertura do Ano Nacional Mariano com um gesto especial nas celebrações da Festa de Nossa Senhora Aparecida, no próximo dia 12 de outubro.

Com a intervenção maternal de Nossa Senhora do Rosário, o Senhor abençoe a todos neste ano de graça dedicado à nossa Mãe Maria.

Dom Tarcísio Scaramussa, SDB
Bispo Diocesano de Santos

2016_10_Ano Nacional Mariano-1

2016_10_Ano Nacional Mariano-2